Dia 12 Vendido T2 São Félix da Marinha, V. N. Gaia

Há escrituras que correm tremendamente bem, há outras que não correm. Há cerca de ano e meio tivemos um processo de venda de um T2 em Ermesinde, Valongo, cuja escritura foi adiada duas vezes. Da segunda vez, a razão pela qual foi adiada, teve a ver com o facto do representante do banco da vendedora, pura e simplesmente se ter esquecido de comparecer (ele ia entregar o distrate). Resultado: ficámos todos com uma “cachola”. Reagendámos a escritura. Sem mais percalços, aconteceu dias depois. No dia de ontem aconteceu mais uma escritura. Trinta e uma. 

Fruto do Covid-19, a situação obrigava a uma atenção “nunca vista”. Para que esta escritura pudesse acontecer, teriam de existir cuidados apropriados, por sua vez, por todos, um superior planeamento e preparação da mesma. Durante a escritura, eu estive por casa com o som do telemóvel no máximo. Não tocou. Passadas duas horas do início da hora do início da escritura, liguei aos meus clientes, neste caso representava o lado vendedor e comprador. Perguntei-lhes como tinha corrido: “correu muito bem, foi chegar, ler e assinar, estava tudo pronto”. Ufa…

O banco era o mesmo do tal Sr. que não compareceu na outra escritura e o trabalho desta vez foi muito organizado, eficiente e profissional. Está e estamos todos de parabéns. Aos meus clientes, o meu profundo agradecimento pela confiança. 

A propósito, distrate é um documento emitido pelo banco do vendedor, onde o banco declara o cancelamento da hipoteca.

Junte-se à discussão

Compare as listagens

Comparar