Dia 53 De onde surgem os clientes

Há profissões cujo cara a cara com o cliente não se torna necessário. No caso do consultor imobiliário, até que a tecnologia nos substitua, esta relação é obrigatória. Há quem use como slogan: um negócio de pessoas para pessoas.

Relembro que os nossos clientes são pessoas que pretendem vender ou comprar um imóvel.

Em agosto de 2017, aquando da minha primeira formação no imobiliário, o formador incentivou-nos a pegar no telemóvel e pediu-nos para ligar para o nosso CIP – Círculo de Influência Pessoal. Esse procedimento tinha como principal propósito passar uma mensagem muito simples. A mensagem consistia em dois pontos: por um lado, informar o nosso contacto que abraçávamos um novo desafio profissional; por outro, um pedido de ajuda, isto é, caso conhecessem alguém que pretendesse vender ou comprar uma casa, que nos passassem esse contacto.

Não é que nessa altura o meu telemóvel não ligava para os meus CIPs. Arquiteto… não havia que misturar as coisas.

Já agora… caro colega arquiteto, queres vender ou comprar uma casa ou um apartamento? Conheces quem queira? Se sim, contacta-me.

Próximo post

Dia 54 Sabe muito bem

Junte-se à discussão

Compare as listagens

Comparar