Dia 76 Triagem dos interessados nas visitas

Senhores vendedores, no âmbito de um imóvel que estejamos a promover, na maior parte das vezes, sempre que um interessado nos liga, solicita logo uma visita. Perante esse telefonema, o nosso papel passa por obter respostas a duas questões fulcrais.

A primeira, prende-se com o facto de perceber se o anúncio foi observado. Para isso existem perguntas teste, como por exemplo uma tão simples quanto esta: o que mais apreciou no imóvel? Se o “gaguejo” ocorrer, a pessoa é subtilmente convidada a observar o anúncio. Se a pessoa não “gaguejar”, pergunto também, se viu o vídeo em que apresento o imóvel. Se não viu, sugiro que veja; após isso, se mantiver interesse, terei todo o gosto em ajudar.

A segunda, tem a ver com a qualificação financeira dos interessados. Neste ponto surge a primeira pergunta, relacionada com a necessidade de os interessados terem, ou não, a necessidade de vender um imóvel primeiro. Em alguns casos, só dessa forma, é que conseguem obter o dinheiro suficiente para sinalizar a nova compra. Se têm de vender primeiro, terão de se reunir comigo para que compreenda a realidade destas pessoas. Outro ponto, muitas vezes paralelo a este, tem a ver com a necessidade ou não de financiamento. Se necessitam, deverão conseguir capitais próprios na ordem dos 15% do valor da venda. Porquê? Porque, na melhor das hipóteses a banca empresta 90%, mas há que incluir as despesas bancárias, o pagamento dos impostos, e as despesas da escritura. Se a pessoa não conseguir este percentual, não faz sentido a visita.

Senhores vendedores, estão preparados para esta triagem?

Junte-se à discussão

Compare as listagens

Comparar