Dia 80 Goulash a receita

Há quem coloque sementes na terra e meses depois colhe o fruto. No sentido de dar a conhecer este diário a mais pessoas, desde o “Dia 77”, optei por enriquecer o coitado do Sr. Mark Zuckerberg. Por cada dia, por cada texto, coloco na terra uma moeda de 1€. Dependendo da meteorologia para os próximos tempos, a colheita pode ser antecipada, ou atrasada. Não faço a mínima ideia, eventualmente nem sequer colheita vai haver, mas só saberei se semear. Fruto desse investimento, estabeleci para mim mesmo, um cuidado maior no título de cada dia. O cuidado tem a ver com a capacidade de cativar.

Dizem que só acontece às grávidas, mas não é bem assim. Hoje estou com desejos.

Entre 2013 e 2014, enquanto arquiteto, trabalhei em Berlim. Todos os dias, eu e os meus colegas íamos almoçar a restaurantes perto do escritório. Havia o chinês. Havia o tailandês, cujo prato “nunca” tinha picante. Havia o quiosque dos hambúrgueres de rua, e cuja coca-cola na garrafa me sabia pela alma; a propósito há ou não há diferença entre garrafa e lata de Coca-cola? Para mim há, muita. Havia também, o “sem identidade”; num desses almoços, saboreei pela primeira vez um Goulash e posso-vos informar que estava uma delícia.

Para quem não sabe, o autêntico Goulash era preparado por pastores húngaros, e consiste sobretudo num guisado de carne de vaca. Atenção irmãos tugas, não é Jardineira. O maior segredo: a carne deve ser da melhor.

Por entre muitas receitas na internet, deixo-vos esta sugestão, talvez para prepararem durante a semana; que vos saiba bem: https://www.tudoreceitas.com/receita-de-goulash-hungaro-1826.htm

Junte-se à discussão

Compare as listagens

Comparar