Dia 129 A tranquilidade não tem preço

Entre 1991 e 2000, durante as férias escolares e nos fins de semana que não chovia, trabalhei numa esplanada. Quem é de Braga deve conhecer a Esplanada do Bom Jesus, aquela que fica ao lado do elevador movido a água. O curso de arquitetura começou a apertar, e o “fim da carreira” era inevitável. Guardo com muita, muita nostalgia esses 9 anos.

Trabalhar à comissão era a regra, recordo-me de muitas vezes ter trabalhado 19 horas seguidas. Muitos foram os dias de chegar às duas da manhã com um grande molhe de notas de escudos no bolso das minhas calças pretas. Ao final do dia o gerente tirava “o total”, eu entregava o valor, e o resto ficava para mim, eram as gorjetas. Em 1994 comprei um Walkman da Sony só com as gorjetas de julho. Perdi a conta às vezes que o vi na montra. Bons tempos…

No imobiliário passa-se o mesmo, também trabalho à comissão e algumas vezes “19 horas”. Acontece que hoje o que quero comprar é diferente e de responsabilidade diferente.

Uma semana de férias tranquilas, em família, em pleno Alentejo, sabe mesmo muito bem.

Junte-se à discussão

Compare as listagens

Comparar