Dia 272 Interior e exterior

Se promovermos um imóvel cuja imagem do exterior (envolvente, fachada, arranjos exteriores…), está ao nível da imagem do interior (acabamentos, materiais…), se ambas forem de qualidade, então está reunida uma condição favorável para o imóvel ser vendido. Ao invés, se a imagem exterior não bater certo com a interior, à partida, as probabilidades de venda do imóvel são inferiores.

Normalmente, fui constatando que o interior é superior. Porquê? Por várias razões, gostaria de enunciar três:

– Regra geral, porque as pessoas vivem mais horas dentro de casa do que fora, daí uma preocupação maior ao cuido do interior;

– Porque no caso do habitar em partilha, a posse é apenas de uma permilagem;

– Porque normalmente as despesas associadas à manutenção do exterior dos imóveis são acentuadas, muitas vezes não existe dinheiro para a fazer.

Os imóveis são como as pessoas, se dermos oportunidade a nós mesmos de os conhecer por dentro, muitas vezes surpreendem-nos.

Enquanto Consultores Imobiliários, sempre que promovemos um imóvel com esta dicotomia, temos em mãos uma questão fulcral que muitas vezes dita o sucesso ou não da venda.

Como cativar o visualizador de um anúncio, para que se sinta incentivado a fazer a visita (daquelas que valham a pena acontecer, claro)?

Adotando uma postura positiva, focada nas soluções e nas características mais positivas do imóvel; mais importante, revelando uma promoção transparente, com tudo sobre a mesa, e que transmita confiança ao potencial comprador.

Compare as listagens

Comparar