Dia 585 Há uma pergunta que nunca pode faltar

Estamos a promover um pequeno terreno na freguesia de Leça do Balio, concelho de Matosinhos. Já agora, deixo link: https://www.zome.pt/ZMPT545871

Na semana passada, em resultado da visualização do anúncio deste terreno, uma potencial cliente contactou-nos de duas formas. A primeira, através de uma chamada telefónica, a qual não pudemos atender no momento em que a recebemos. A segunda, através de um e-mail.

Em resposta ao e-mail recebido, um de nós ligou à cliente e esclarecemos as dúvidas. Em resultado dessa chamada, chegámos à conclusão de que: por um lado, o terreno não fazia sentido para esta cliente; por outro, o que ela pretendia, não era um produto fácil de encontrar; por fim, e como consequência deste último ponto, por sua vez, de acordo com um procedimento interno na Equipa CS ZOME, optámos por não dar seguimento a esta potencial cliente.

O tema estaria arrumado, se, entretanto, não acontecesse o seguinte:

A chamada telefónica que não atendemos, foi retribuída e aconteceu isto:

Agradeço, mas eu já falei com uma pessoa da vossa equipa, fiquei esclarecida e já não estou interessada no terreno!  –  Esta foi a resposta ao telefone da potencial cliente… e estava mesmo a despachar-nos…

Acontece que, houve uma tentativa de aprofundamento. – Já agora, gostava de compreender a razão pela qual nos contactou, está interessada num terreno? Pode falar-me um bocadinho sobre isso…

(e a Senhora desabafou)

E quanto ao seu apartamento, se conseguíssemos um comprador que lhe desse um bom valor pelo mesmo, assinaria um contrato-promessa, mesmo não tendo encontrado o tal terreno? – A pergunta que não poderia faltar…

Hoje temos uma reunião no apartamento deste casal…

Compare as listagens

Comparar