Dia 593 Varanda larga e profunda sff

Há duas semanas, liguei a um cliente a quem há cerca de 10 anos lhe fiz o projeto de uma piscina, a piscina da sua moradia. Pessoa que muito estimo.

Esta “persona” com cerca de 70 anos, é promotor imobiliário, e vendeu centenas de apartamentos à classe média na década de 80/90. Ele é o “famoso empreiteiro que vende prédios” estereótipo que todos já ouvimos falar… Neste momento está a ponderar avançar para a construção de um prédio no Porto, ao todo 6000m2 de área bruta de construção.

Ó arquiteto, agora que você sabe de vendas, que tipologias sugere para o prédio? – Perguntou-me ele sob minha admiração. Ele, como eu, deveria saber quais as tipologias com maior saída! Talvez precisasse de alguém para validar o parecer dele.

T2s os que mais se vendem, imediatamente a seguir T3s, com menos procura os T1s e os T4s. Isto se quiser abordar o mercado com as tipologias tradicionais, agora se o público-alvo for diferente, as tipologias T0s, ou T1s podem fazer sentido. – Respondi-lhe de imediato.

Muito bem, deixe-me pensar sobre isto e mais tarde voltaremos a falar… – Pois bem, eu já tinha pretexto para lhe ligar mais adiante.

Posso dar-lhe uma sugestão? – Claro que sim ó arquiteto! – Respondeu ele no seu tom altivo…

Para além de pensar nas tipologias, sugiro que pense na existência de uma varanda profunda e que possa ampliar o espaço interior da sala, digo mais, uma varanda a toda a largura da sala. Este caminho no imobiliário, fez-me constatar o quão valioso é este espaço para captar compradores, e o Covid só veio reforçar.

Compare as listagens

Comparar