Dia 712 O mais belo presente de aniversário

Pelas 22.30h do dia 27 de fevereiro de 2008, aguardava que me chamassem para entrar no bloco operatório.

De máscara e de bata azul, num compartimento adjacente, sentei-me num daqueles bancos compridos de ripas de madeira, daqueles que normalmente se veem nos balneários/vestiários. Olhava para o relógio. Os minutos passavam sem que ninguém me chamasse.

De repente, em passo apressado, passa por mim o homem que eu tanto aguardava, mas que nada me disse. Na volta do homem, não resisti e parei-o.  – É hoje? – Esta pergunta foi a que me saiu do fundo do mais profundo.

Fique calmo, num minuto está cá fora. – Respondeu-me o tal homem.

Um minuto?! – Não fazia qualquer sentido o que ele me dizia. Só validava o tempo a passar… olhava de novo para o relógio e ele mostrava-me que faltavam 40 minutos para a meia-noite… passou outro minuto…, entretanto outro… e outro… e outro…

Entretanto, alguém abre a porta do compartimento onde eu estava, e num ápice levanto-me. – Pode entrar pai.

Assisti a tudo. Eram 23.40h, e acabara de receber o presente de aniversário mais maravilhoso que alguma vez poderia ter.

A todos, obrigado pelas mensagens de parabéns.

Compare as listagens

Comparar