O Ferrari do nosso cliente

Quanto ao Ferrari, acho que o reboque ainda não passou por lá…

O Ferrari do nosso cliente

Há precisamente um ano, tivemos uma reunião de apresentação de serviços numa casa localizada na freguesia de Valadares, concelho de Vila Nova de Gaia. A casa estava num elevado estado de degradação, só uma obra profunda se apresentava como solução. Estamos a promover essa casa desde aí.

 

Durante os meses anteriores a essa reunião, promovemos outras 3 casas similares a essa, isto é, casas a precisar de obras profundas.

 

Na primeira casa, localizada na freguesia de Ermesinde, concelho de Valongo, durante 9 meses de promoção, só tivemos uma visita. No seu direito, o nosso cliente optou por não renovar o contrato de mediação. Resumindo, “não vendemos”.

 

Na segunda casa, também ela localizada na freguesia de Ermesinde, fruto da sua localização em pleno Centro, tivemos cerca de vinte visitas. Apesar desse facto, o que levou a propostas apresentadas ao vendedor, as mesmas não iam de encontro à sua expectativa.

Palavras dele: Eu tenho um Ferrari! 

Bem tentei, mas de nada valeram as minhas palavras: Olhe que o seu Ferrari precisa de conserto, não o levará aonde você quer.

Próximo do final do contrato de mediação, o vendedor optou por não o renovar. Frustrado, dei conta de que acabei por investir dinheiro e tempo para nada. Resignei-me. No fundo tive a minha oportunidade e não a agarrei.

 

Três meses depois ligou-me a informar que queria que lhe promovêssemos outro imóvel. Duas semanas depois, tinha um contrato-promessa assinado nas suas mãos. Quanto ao Ferrari, acho que o reboque ainda não passou por lá.

 

Quanto à terceira casa, desta vez na freguesia de Alfena, também no concelho de Valongo, porque era uma casa muito interessante, por sua vez porque o preço estava ajustado, o comprador certo surgiu em duas semanas.

 

Voltando à casa que estamos a promover, hoje está previsto um dia muito importante… vamos formalizar o contrato-promessa.